segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Nunca entre em uma espiral destrutiva!!

Bom, antes de tudo , gostaria de me apresentar: Eu sou o Coelho, mais um integante da equipe do ESPIRAL DESTRUTIVA, e estou aqui para compartilhar um pouco da sabedoria que ainda me resta ( e eu estou sendo otimista!). Se eu falar besteira, lembrem-se que a mãe coelho não tem nada a ver com isto...e...e...espero que gostem. Estarei aberto ( no bom sentido!!) para opniões. De resto é só. BEIJOS!





A ESPIRAL DESTRUTIVA!!



Posso falar por experiencia propria e com toda a convicçõa que, uma das piores coisas que pode acontecer à uma pessoa é entrar em uma ESPIRAL DESTRUTIVA (ED). Uma vez dentro de uma ED não há escapatoria. A unica coisa a ser feita é sentar e chorar. Para falar a verdade, existe uma coisa a ser feita, que é esperar o fase final : O NABO! E quando o nabo vem... ai, ai... eu não gosto nem de lembrar.
Uma espiral destrutiva é composta da reunião de fatos aleatórios que somados geram uma situação desastrosa, ou em português claro, dão merda! Não podemos comtrolar este fenomeno pois, infelismente, ainda não sabemos prever o futuro. Para inlustrar, vou contar um causo que ocorreu comigo.
Durante a semana eu moro em Campinas, mas vou para São Paulo todos os finais de semana. Minha aula acaba ao meio dia e o fretado sai para São Paulo a uma hora. Certo dia eu tinha um compromisso muito importante na Capital, as cinco horas, que não vou falar o que era. Mas era coisa muito boa, isto eu garanto. Resolvi, ao invés de esperar ate a uma hora, pegar o onibus até a rodoviaria. Vamos dar uma pausa. Quem é esperto, já percebeu que este foi o gatilho inicial para a espiral destrutiva. Já adianto que esta escolha deu merda e que o nabo foi grande.
Apartir disto, foi-se gerando uma cadeia de acontecimentos desastrosos. Não tinha com evitar. Como eu poderia saber que a minha escolha ia me levar a uma ED.
Bom, de onde eu estudo até a rodoviaria gasta-se em torno de 25 minutos. Isto se os funcionarios publicos de campinas não tivessem resolvido fazer uma passeata. Vamos pensar juntos. Funcionáro publico, de Campinas, fazendo passeata numa sexta feira e na hora do almoço, só tem duas explicações: Ou estavam querendo cabular o trabalho ou estavam querendo me fuder! E eu voto na segunda opção.
Após 1h e 15 minutos, chego na rodoviaria e vou comprar a passagem. Fico na duvida entre duas duas companhias. E escolho a que vou chamar de pedra estrelar, se vocês me entendem. Naquele momento, eu não sabia que tinha acabado de entrar numa ESPIRAL DESTRUTIVA ENCADEADA. O que vem a ser isto? É quando, estando numa ED, você faz uma nova escolha que gera como brinde outra ED. Se uma é ruim, imagine duas.
Vou para plataforma esperar o onibus. Um senhor me pede uma caneta emprestada. Não me pergunte como, mas, ao tentar abrir a mochila, eu rasguei a passagem. E vai eu explicar para o motorista o que aconteceu. Sorte que ele me deixou entrar. Esqueci de descrever o onibus que, carinhosamente, apelidei de Tétano com rodas: Devia ter uns 15 anos, sem ar condicionado e as poltronas estavam brancas de tanto pó. A primeira coisa que fiz ao entra foi jogar o canhoto da passagem fora. Mais um erro. Fui para minha poltrona que, por sorte, tinha cinto. Sentei, o onibus lotou e estava começando a me ajeitar quando um tiozinho, o mesmo que me pedio a caneta, vei reclamar que eu estava sentado no lugar dele. Como não tinha o canhoto ( por que sera?) tive que dar lugar a peste, quer dizer, ao senhor de idade. Fui para uma poltrona sem cinto.
Chega, né? Não...não é assim que funciona um espiral destrutiva. Quando você acha que já esmerdalhou tudo, a espiral gira e a coisa fica pior. A entidade que cuida da execução da ED, deve ser insaciável. Uma mistura de um africano faminto com uma atriz pornô. Ela não pode ver você dando-se bem. Por que? Por você foi burro de cair na armadilha dela. E eu cai que nem um pato.
Estava na Bandeirantes, perto do hopi hari, quando ocorre um estouro. O que será? O que será?
Claro que era o pneu que tinha acabado de estourar. Bora sair do onibus e ficar no acostamento, num sol do cão, esperando que mandem um onibus novo. Após uma hora, eis que vem o novo onibus. Que por sorte era bem novo. Para terminar, chego em São Paulo e está chovendo. Isto significa, transito na marginal. Nesta hora recebo o nabo em forma de sms:
"- Coelho, não vai dar para você chegar as cinco? (eram 16:30 e eu estava do outro lado da cidade). Pois não vai dar para eu sair mais tarde (hummm!) É que eu tenho que cuidar do meu irmão a noite (Filho da pu...!). A gente marca outro dia! BJs (Tá, eu nem queria sair mesmo!)"
Se eu não tivesse decidido ir de rodoviaria , se eu não tivesse escolhido a companhia pedra estrelar, se eu não tivesse jogado fora o meu canhoto teria sido tudo diferente. Eu teria ido com o fretado, chegado cedo em casa e saido... Mas, tinha algo conspirando contra, e deu tudo errado.
Mas uma coisa é certa, não é a espiral detrutiva que escolhe você, é você que resolve entrar nela. Por isto, use a cabeça para outro fim que não seja pensar em sexo ( estou falando alguma mentira?) e preveja aonde uma escolha vai te levar.
O prorpio blog é, literalmente, uma espiral destrutiva. Basta você decidir se deve ou não seguir o que falamos. Por hoje é só meus queridos, um grande abraço.
O COELHO!

Related Posts with Thumbnails

2 comentários:

Harry disse...

PQP! Maior espiral destrutiva que eu já vi!

Lily-chan disse...

Nossa, eu ri loucamente como se naum houvesse amanha!!!!!!

Sdds de vcs meninos ^^

Postar um comentário